Home
NESTA SEÇÃO
· Diretrizes
· Estrutura Organizacional
· Eventos
· Histórico
· ISO 9000
· Nosso Pará
· Notícias
· Novidades
· O que fazemos
· Organograma
· Pesquisa de Opinião
· Relatórios

LINKS IMPORTANTES
Escolha o link de seu interesse, logo abaixo:


NOSSO PARÁ

Pontos Turísticos


 

Belém do Pará
Catedral de Belém
Catedral de Belém

No largo da Sé, em frente a igreja de Santo Alexandre, está a catedral de Belém, a igreja de Nossa Senhora da Graça, majestoso templo cuja fachada é encimada pela graciosa imagem da santa que lhe empresta o nome.

A atual construção situa-se no local da segunda igreja de Belém, já que a primeira funcionou no interior do Forte do Castelo nos primeiros tempos da cidade. Teve sua construção iniciada em 1748, e sua inauguração se deu em 1774. A obra foi inicialmente dirigida pelo mestre pedreiro Manoel João da Maia, sendo finalizada com a chegada do arquiteto italiano Antônio José Landi em 1753 e, após prestar serviços no interior da Amazônia, passou a dirigir a obra da Sé em 1757. A essa época o prédio já estava levantado até a altura do telhado, sendo provável a influência do mestre italiano no acabamento da fachada, que possui um traçado de linhas neoclássicas. Suas duas torres possuem sinos e relógio de pêndulo instalado em 1779.


 

Belém do Pará
Basílica de Nazaré
Basílica de Nazaré

Construída em 1774, como capela, foi a partir de 1908 que começou a construção da Basílica, localizada na Praça Justo Chermont, sn, bairro de Nazaré. O seu interior, todo em mármore, segue o modelo da Basílica de São Paulo, em Roma. Integra o conjunto arquitetônico de Nazaré. Ponto final da Romaria do Círio que se realiza todos os anos, no segundo final de semana de outubro. Aberta os 7 dias da semana das 6:30 às 11:30 horas e das 15:00 às 21:00 horas.


Museu Paraense Emílio Goeldi

Reconhecido mundialmente como um dos mais importantes institutos de investigação cientifica da Amazônia. Dedicado ao estudo da flora, da fauna e do homem amazônico e do seu ambiente físico, possui um parque zoobotânico com mais de 1.500 espécie amazônicas, 1.500 amostras de plantas, 1.600 exemplares de frutos, 700 espécie de madeiras, um aquário com espécies raras dos rios amazônicos e ainda uma exposição permanente com objectos etnográficos de vários povos indígenas da Amazônia.


 

Belém do Pará
Estação das Docas
Estação da Docas

Espaço revitalizado do antigo galpão Mosqueiro- Soure e dos galpoes 1, 2, 3 e 4 da companhia das docas do Pará. Já se concentram hoje lojas, cervejaria, restaurantes, lanchonetes, espaços para shows, anfiteatro, teatro ( Maria Silvia Nunes) e o porto para passeios turisticos na baia do guajará.




 

Belém do Pará
Mercado de Ferro
Ver-o-peso

Sua origem data do século XVII e seu nome deriva da existência à época, de Posto Fiscal, a Casa do Haver-o-Peso, onde eram pagos os impostos a que estavam sujeitos o gêneros trazidos para a sede da Província.

Símbolo cultural e turístico da cidade de Belém,é um conjunto de doca, feira e mercados, É lá que se encontra um "janelão" escancarado para a baía do Guajará, um espaço aberto onde se pode desfrutar da beleza e amenidades do lugar.


 

Belém do Pará
Orquidário
Parque da Residência

Antiga casa do Governador do Estado, hoje abriga um dos mais novo espaço de lazer da cidade, possui uma excelente infraestrutura para receber os visitantes, com praças, restaurante, teatro, anfiteatro, galeria de arte, um orquidário e o antigo vagão de trem do governador que foi transformada em uma sorveteria regional.





 

Belém do Pará
Forte do Castelo
Forte do castelo

Berço da vida política, econômica e social de Belém. Local onde pela primeira vez, a 12 de janeiro de 1616 desembarcaram os portugueses sobre o comando de Francisco Caldeira Castelo Branco, com finalidade de conquistar terras amazônicas da avidez dos corsários europeus (ingleses, franceses, holandeses, irlandeses) que ameaçavam o domínio lusitano.

Erguido na Baía do Guajará, também serviu de abrigo para os cabanos durante o Movimento Nativista Revolucionário da Cabanagem. Hoje funciona a sede do Círculo Militar de Belém, E possui um restaurante. Sua localização é super privilegiada proporciona uma vista panorâmica de toda a baia do Guajará, do porto e do mercado do Ver-o-Peso.


 

Belém do Pará
Polo Joalheiro
Polo Joalheiro

Espaço revitalizado do antigo presidio de São José, com destaque para o museu de pedras preciosas do Pará.








 

Santarém
Alter do Chão
Alter do Chão


A vila de Alter-do-Chão fica a 30 km de Santarém. Representa o mais famoso balneário do município. É a mais procurada da região e parada obrigatória na rota de cruzeiros estrangeiros. Banhada pelo Tapajós, sua praia é temporária, dependendo da cheia do rio. Uma das curiosidades do lugar é o lago verde, cujas águas mudam de cor durante o dia, de azul para verde. Anualmente, em setembro, acontece a Festa do Çairé, uma manifestação folclórica e religiosa que dura 8 dias. São dezenas de apresentações de dança e música de nomes esquisitos: camelu, desfeiteira, lundu, valsa da ponta do lenço, marambiré, quadrilha, cruzador tupi, macucauá, cecuiara e muitas outras.

Alter-do-Chão é uma aldeia de pescadores a 35 Km de Santarém, onde acontece a tradicional festa do Çairé. Areia fina e águas claras compõem uma paisagem belíssima. Quando as águas baixam surge uma faixa de terra no rio, formando uma barra, que os santarenos chamam de ilha. Nesta "ilha" montam-se vários bares para servir os turistas, que atravessam o rio por meio de pequenas canoas, conhecidas por catraias. O nascer e o pôr-do-sol são magníficos espetáculos da natureza em Alter-do-Chão.

 

Vista Aérea Salinas
Praia do Atalaia

Salinas

Em Salinópolis, o clima agradável, a beleza natural e um charme especial fazem de Salinas, como é conhecido, um dos mais concorridos balneários do Pará. É banhada pelo Oceano Atlântico, fazendo fronteira com os municípios de São João de Pirabas e Maracanã. Situa-se a 220 km de Belém.




 

Ilha do Marajó
Soure
Ilha do Marajó

Na foz do Rio Amazonas encontramos o maior arquipélago flúvio-marítimo do mundo. Com quase 50 mil quilômetros quadrados, o Marajó abriga 12 municípios e é maior que vários países europeus.

É um dos mais importantes santuários ecológicos do planeta e um pólo turístico de alternativas inesgotáveis.
A exuberância da paisagem é formada por florestas, campinas, gramados, praias de rio, lagos de todos os tamanhos, furos e igarapés. Pássaros raros como o guará, jacarés, peixes e muitos outros compõem a fauna marajoara, formando um espetáculo de sons e cores imperdíveis.

A principal atividade econômica do Marajó é a criação de búfalos. Mas o artesanato também merece destaque. A preocupação com a preservação da cultura marajoara é flagrante na reprodução de peças de excepcional beleza. A culinária também é um ponto forte, especialmente por causa da variedade de peixes deliciosos. Quando se vem ao Pará é impossível resistir a um passeio pelo Arquipélago do Marajó.

Na foz do Rio Amazonas encontramos o maior arquipélago flúvio-marítimo do mundo. Com quase 50 mil quilômetros quadrados, o Marajó abriga 12 municípios e é maior que vários países europeus.


Créditos
Foto da Basílica de Nazaré: belemdopara.com.br.
As demais fotografias são pertecentes ao acervo da Companhia Paraense de Turismo - PARATUR. Fotos de divulgação.


ATALHOS
Adicionar este Web Site
aos seus Favoritos
Enviar o endereço desta
Página a um amigo
Imprimir o conteúdo
desta Página
Enviar e-mail para a
nossa equipe
Retornar até a Página
Inicial
Voltar

TELEFONES ÚTEIS
+55.91.3217-5800 (Geral)
+55.91.3217-5840 (Fax)
+55.91.3217-5808 (Ouvidoria)
+55.91.3217-5810 (Tele-Jucepa)

 
         

Início · Sobre nós · Informações Úteis · Serviços On-line · Contato
Copyright © 1997-2009. Junta Comercial do Estado do Pará. Todos os direitos reservados.
Clique aqui para Mandar sua Opinião sobre este Web Site.
O e-mail para contato através do site é: contato@jucepa.pa.gov.br
Sistema de Qualidade Jucepa