Sobre acessibilidade

Serviços

Notícias Mais Notícias

14/12/2017 - 12:30

 

A integração dos órgãos de registro e legalização de empresas nos estados brasileiros agora precisa avançar para uma padronização a nível nacional. Foi o que defendeu o coordenador geral da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), Carlos Nacif, da Receita Federal, durante a realização do I Seminário Estadual da Redesim, promovido pela Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa), na noite de quarta-feira, 13, no Hangar, em Belém. Segundo Nacif, essa padronização é fundamental para melhora a imagem do país diante de investidores estrangeiros. “Hoje a Redesim estabelece um ranking entre os Estados e estamos alcançando muitos avanços a nível nacional, mas diante dos avaliadores externos a posição do Brasil ainda é muito ruim, isso porque não temos uma padronização entre todos os Estados e precisamos avançar nesse sentido”, explicou.

A nível nacional, o Pará assumiu em novembro a liderança do ranking da Redesim com a integração dos 144 municípios paraenses, além de órgãos de registro como Cartórios e a representação, no Estado, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PA); e de legalização como é o caso do Corpo de Bombeiros, Secretaria de Meio Ambiente e Delegacia de Polícia Administrativa (DPA). “A Redesim, com a integração de todos esses órgãos, consegue justamente acelerar o andamento dos processos de abertura, alteração e mesmo baixa de empresas, fazendo com que o empresário, o empreendedor, não precise mais andar de um lado para o outro. Hoje, ele consegue fazer tudo através do site da Jucepa. Isso, quando se olha pelo aspecto da geração de emprego e renda, é um fator fundamental para a redução das desigualdades sociais”, avaliou a presidente da Jucepa, Cilene Sabino. 

O Seminário Estadual da Redesim surgiu como uma necessidade de difundir a Redesim, tanto entre os profissionais que fazem uso do sistema como contadores e advogados, quanto entre empresários, empreendedores e a sociedade de modo geral. “Apesar de a lei federal que criou a Redesim estar completando 10 anos, o que a gente percebe é que ainda há pouca informação sobre o seu funcionamento e sobre os benefícios desse sistema para a economia e o desenvolvimento não só do nosso Estado, mas do Brasil”, afirmou a presidente. Além da própria Jucepa e da Receita Federal participaram do evento a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), o Sebrae e entidades ligadas aos cartórios de registro de pessoas jurídicas.